segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

C.R.I. 3–4 Almada (Infantis-B)

Sábado de sol para mais uma jornada do Campeonato Distrital de Infantis “B”, onde a equipa do CRI recebeu o Almada, num jogo que decorreu como o previsto ou seja muito disputado.

Pena foi que o Senhor António Traguedo, arbitro deste jogo tenha resolvido que na segunda parte seria ele a figura principal da partida e pela negativa. Deve de ter havido alguma coisa de muito perturbante ao intervalo, porque esse Senhor veio completamente transformado e transtornado, com o propósito claro de prejudicar a nossa equipa.

Vamos então falar do jogo para enquadrar-mos todas as incidências; o jogo começou repartido e com um bom ritmo onde a bola andava de área em área, mas sem grandes lances de golo.

O jogo era muito disputado a meio campo e as defesas estavam a superiorizar-se sobre os avançados até que aos 19 minutos num atraso ao guarda-redes que gerou alguma atrapalhação na defesa do Almada, Diogo Pina aproveitou para fazer o um a zero.

A equipa adversaria sentiu o golo e aos 21 minutos, Ruben Gonçalves na marcação de um livre fez um excelente golo. No minuto seguinte o adversário iria reduzir num golo muito consentido pela nossa defesa.

Na segunda parte o adversário entrou melhor no jogo e iria empatar aos três minutos fruto de uma grande penalidade que se pode aceitar.

A equipa do CRI descentrou-se um pouco e permitiu que o adversário toma-se conta da partida por uns instantes até que surgiu um caso surreal, onde o arbitro marca penalty numa jogada onde os miúdos estavam todos a jogar, onde ninguém caiu onde não houve protestos em suma onde não houve nada e foi marcado um penalty contra nós sabe-se lá porquê.

Os miúdos naturalmente ficaram nervosos com estas situações e passaram por momentos difíceis, mas souberam reagir e aos 20 minutos Guilherme Costa, fez o terceiro golo na sequência de um canto.

Com a euforia do golo e com todas as incidências da partida é possível que um nosso jogador se tenha excedido nos festejos, mas nada de especial aconteceu, mas o árbitro manda o treinador do CRI retirar um jogador do campo se não expulsa-o.

Mas uma vez isto não contribui para a concentração da equipa, que mesmo assim ainda teve três lances para fazer o quarto golo, para aos 29 minutos num lance de duvidoso julgamento tendo o arbitro reflectido quando disse para o banco da equipa adversaria “Calma que o golo é valido”.

E assim se chegou ao fim do jogo, com os Pais dos miúdos revoltados com tanta dualidade de critérios e faltas inventadas contra o CRI.

Em resumo, excelente jogo de futebol onde o resultado certo seria o empate, mas outros valores se levantaram e isso não foi possível.

Parabéns aos jogadores que perante tanta adversidade conseguiram manter um bom espírito de equipa e lutaram até ao fim por um resultado melhor.

Para a semana é descanso de Carnaval, para depois recebermos o Sesimbra.

A equipa do CRI alinhou com os seguintes jogadores:

Pedro Horta; Nuno Cristo; Luis Cascalheira; Guilherme Costa; Miguel Manhita; Gonçalo Rodrigues; Ruben Gonçalves ( C ); Catarina Sebastião; Diogo Pina; Tiago Santos; Miguel Vieira; Jorge Serra.

Augusto Manhita

Reacções:

0 COMENTÁRIOS: